Crítica: Homem de Aço

Homem-de Aço-poster-1O Super-Homem sempre teve presente na nossa memória desde os tempos de criança, com as bandas desenhadas, os desenhos animados na TV, etc. No que toca aos filmes, os com Christopher Reeves também marcaram a saga do Super-Homem e a muitas pessoas deixa saudades.

Surge agora nos cinemas o Super-Homem: O Homem de Aço, com a realização de Zack Znyder e com argumento de Christopher Nolan e David Goyer, que deram possivelmente a melhor versão de cinema de sempre ao herói.

O filme começa com o planeta Krypton envolto em caos e á beira da destruição devido ao esgotamento de recursos do planeta, uma situação nunca antes apresentada nos outros filmes. È aqui que surge Jor-El (Russel Crowe) revoltado com a má gestão do planeta, resolve ele próprio como um herói salvar a vida do seu filho Kal-El, enquanto General Zod(Michael Shannon) tenta lançar um ataque ao poder do planeta no qual sai fracassado.

E assim Kal-El chega a terra, a premissa principal do filme, a chegada do bebé recém-nascido a terra, num local remoto, criado por pais humildes.

MAN OF STEEL

Saltamos no tempo e vemos Clark Kent adulto, perdido no mundo e a encontrar um propósito para a sua existência e a tentar perceber a origem dos seus poderes, não temos ainda o típico Clark Kent jornalista de óculos e com um jeito meio trapalhão. É aqui que surgem diversos flashbacks da sua infância e da sua adolescência e que ajudam a compreender a sua situação, é aqui também que vemos os pais “terrestres“ Jonathan Kent (Kevin Costner) e Martha Kent (Diane Lane), Kevin Costner e Russel Crowe estão muito bem como pais do herói cada um com o seu papel, Crowe com o importante papel de enviar Super-Homem para a terra, e Costner de dar a educação e a moralidade da terra e que interpreta de uma forma fantástica dando uma vida á personangem nunca vista em outro filme da saga. Uma palavra para Diana Lane, que interpreta Martha Kent que está bem no seu papel de mãe protetora de Clark.

General Zod(Michael Shannon) chega á terra e começa a ação do filme repleta de lutas em altitude, grandes voos, destruição de prédios, explosões, ou seja, grandes momentos épicos  de ação bem feitos que acabam com uma luta entre Super-Homem que defende a terra e o General Zod, que defende de uma maneira fria e sem moralidade Krypton  que tanto ele ama.

Michael Shannon está muito bem como General Zod e Antje Traue como Faora El proporciona cenas de luta boas e sempre com cara de poucos amigos.

Claro que tínhamos de falar de Henry Cavill, o protagonista do filme que representa bem o papel do herói, com uma altura e físico impressionante, dá uma nova vida a Clark Kent.

Alguns pontos menos positivos do filme é o recurso se calhar excessivo dos flashbacks, momentos rápidos de ação frenética entre diversos momentos do filme, ou seja, passagens rápidas de uma cena para a outra. O romance entre Lois Lane e Clark Kent parece um bocado forçado, parece que não existente grande empatia entre os dois.

MAN OF STEEL

Zack Znyder em termos visuais não falha, o filme está muito bom nesse aspeto, o que seria de esperar já que Watchmen e 300 têm grandes efeitos visuais, a banda sonora acompanha bem todos os momentos do filme.

Este filme do Super-Homem traz de regresso a mítica história do herói a chegada do bebé a terra, este filme mostra um herói perdido, percorrendo diversos sítios a procura da sua identidade, mas com moralidade sempre preocupado com o outro e com um grande sentido de responsabilidade. O novo herói criado por Nolan e realizado por Znyder é empolgante, emocionante e, especialmente, novo. Um Super-Homem para a nova geração, um herói tradicional, mas elegantemente reposicionado.

 

Classificação final: ★ ★ ★ ★ ★

 

 

Ficha Técnica

Título original: Man of Steel

Produtora: Legendary Pictures

Realização: Zack Snyder

Elenco: Amy Adams, Russell Crowe, Henry Cavill, Kevin Costner, Diane Lane, Michael Shannon

Género: Ação/Aventura

Duração: 142 min.

Classificação: M12

Estreia nacional: 27/06/2013

 

Notícias Relacionadas:

4 thoughts on “Crítica: Homem de Aço

  1. João
    25 de Junho de 2013 at 23:25

    Ainda não vi, ninguém critica negativamente o filme embora existam sempre aqueles que gostam de filmes de super herois aos estilo da Marvel… Man of steel e Dark Knight são de contexto mais realista e não tão comic book… por isso as únicas criticas que existem são que é Muito Realista!, muita história… (fundamental não?) e demasiado trágico! pouco humor…

    Ou seja.. abençoado C.Nolan e Goyer por oferecerem histórias realistas ao hérois da DC Comics…

    😉

    1. 26 de Junho de 2013 at 9:17

      Obrigado pelo comentário João!

      Realmente existem diferenças entre os filmes da DC e da Marvel.
      Este filme do Super-Homem está muito bom e vale a pena ver.

      Os nossos cumprimentos!

  2. jose neto
    26 de Junho de 2013 at 17:00

    Bela critica, bem argumentada e sem pistas sobre os eventos da trama. continue assim. Abraços

    1. 26 de Junho de 2013 at 17:56

      Olá José Neto!

      Pode contar com todo o nosso trabalho e dedicação nas nossas críticas. Esperemos que goste do novo filme de Super-Homem.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *